Modelo British Parliamentary

O British Parliamentary Debate (BP), é o modelo de debate competitivo mais popular em Portugal e a nível mundial.

Este modelo funciona da seguinte forma: quatro equipas de duas pessoas confrontam-se, com apenas quinze minutos de preparação, em discursos de 7 minutos, em que procuram defender ou atacar uma moção anunciada no início do debate, independentemente da sua posição pessoal. A posição das equipas, que condiciona o seu papel, é ditada aleatoriamente (1º Governo, 1ª Oposição, 2º Governo, 2ª Oposição), pelo que é possível que os oradores defendam posições que não sejam as suas, saindo fora da sua “zona de conforto”.

Qualquer assunto pode ser debatido desde que ambos os lados sejam defensáveis.

Regras

Cada orador tem, no máximo, 7 minutos de discurso (com 15 segundos de tolerância), começando no discurso do Primeiro Ministro e terminando no do “Whip” da Oposição, seguindo a ordem da imagem.

Untitled-2-11

Os últimos discursos de cada bancada (Whips) não podem trazer argumentos novos ao debate de modo a trazer alguma justiça ao debate. Como não podem ser refutados, têm de usar outros meios para mostrar aos Adjudicadores como é que a sua equipa ganha o debate. Podem fazer só refutação, explicar melhor o que ficou por explicar, dar exemplos, ou ir fazendo um resumo enviesado do debate. Tudo serve menos dar argumentos novos!

Desde o momento em que é apresentada a moção, não é permitida a utilização de qualquer meio electrónico que permita a consulta de informação. Se os oradores tiverem alguma dúvida em relação à moção, devem tirar essa dúvida junto dos Adjudicadores que prepararam a Moção. Desconhecimento em relação ao assunto deve ser resolvido com um caso mais lato, de conceitos gerais e nunca com consulta de informação.

Points Of Information (POIs) são perguntas ou comentários que os debaters podem fazer à pessoa que esteja a discursar, desde que seja da bancada oposta. Devem ter no máximo 15 segundos e só podem ser feitos entre o minuto 1 e o minuto 6 para que, quem está a discursar, possa iniciar e finalizar o seu raciocínio. O orador pode aceitar, rejeitar as perguntas, no entanto, deve aceitar pelo menos 1 POI.

pp-11

O Primeiro Ministro tem como função especial dar uma definição da moção a ser tratada no debate, ou seja, é o PM que tem de deixar claro o que se vai debater, explicando os conceitos em causa e o que é ou não relevante para o debate, sem o restringir, de maneira a este ser equilibrado.

Por exemplo, na moção “Esta Casa legalizaria as drogas” o PM tem de dizer se se está a falar de todas as drogas, de drogas leves e em que circunstâncias isto iria acontecer, no entanto não poderia dizer que estamos a falar de legalizar o Ben-u-ron, pois seria uma restrição excessiva e nenhuma das outras equipas estaria preparada para isso (além do facto do Ben-u-ron já ser legal).

As segundas casas (2º Governo e 2ª Oposição) não podem contradizer as suas respectivas primeiras casas. Ou seja, se a 1ª Oposição disser que qualquer tipo de substâncias viciantes são nocivas para o homem e como tal deviam ser proibidas, a 2ª oposição não pode dizer que álcool e tabaco são legítimos de ser consumidos.
As segundas casas podem fazer casos diferentes ou divergentes das suas primeiras casas, mas não podem nunca fazer casos incompatíveis.

No final de cada debate, a equipa de adjudicação deverá ordenar as equipas do 1º ao 4º  lugar de acordo com o seu contributo para o debate. A adjudicação deve avaliar os argumentos e refutações de cada parte, bem como o desenvolvimento e explicação desses argumentos de maneira a poder dizer que equipas foram mais persuasivas e deixaram mais claro porque deveriam vencer.